1LINK FACEBOOK   1 LINK INSTAGRAM  
  (31) 3074-3000 |  novoagro@inaes.org.br

0
0
0
s2sdefault

O INAES (Instituto Antonio Ernesto de Salvo), por meio do programa NovoAgro 4.0, realizou rodadas de negócio na 9ª edição FEMEC, em Uberlândia, com o objetivo de apresentar soluções tecnológicas para produtores rurais, associações, cooperativas, sindicatos e empresas do agronegócio.

A ação foi realizada no estande do Sistema FAEMG/SENAR/INAES/Sindicatos e contou com startups do portfólio da NovoAgro Ventures. Participaram da ação a Pecuária Brasil, Ruh Water, Soft Sul e Dominus Solli, que apresentaram soluções sobre gestão na pecuária, recursos hídricos, grãos, além de monitoramento aéreo da lavoura.  

0
0
0
s2sdefault

A transformação do agronegócio passa pelas mãos de muitas mulheres. Elas conquistam cada vez mais espaço, mostram a sua competência e deixam um importante legado de avanços para o meio rural.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 31% das propriedades rurais no país são comandadas por mulheres. Elas ocupam ainda 19% dos cargos de direção em empresas do agribusiness brasileiro. De acordo com uma pesquisa recente publicada pela Harvard Business Review, mulheres em cargos de liderança mostraram mais eficiência durante a crise pandêmica, ao apresentarem soluções criativas, resultados positivos e conquistarem maior engajamento dos colaboradores.

“A coragem para inovar é uma marca forte feminina”, conta Silvana Novais, a mulher no comando do Instituto Antonio Ernesto de Salvo (INAES). Braço de pesquisa e inovação do Sistema FAEMG/SENAR/INAES/Sindicatos, a entidade é responsável por fomentar a inserção de tecnologia e evolução do agronegócio mineiro. “As mulheres têm ainda um longo caminho pela frente, na conquista de espaços. E o Sistema FAEMG acredita que é preciso apoiá-las nesta trajetória. Atuamos desenvolvendo todo tipo de projetos para que o agronegócio seja cada vez mais inovador, justo e produtivo. E as mulheres são parte muito significativa desse processo!”, afirma Silvana.

Em Minas Gerais, 22 dos Sindicatos dos Produtores Rurais vinculados ao Sistema FAEMG/SENAR/INAES/Sindicatos são presididos por mulheres. E, no contexto da participação feminina na inovação, a NovoAgro Ventures, venture builder do Sistema FAEMG em parceria com a FCJ, conta com duas startups lideradas por mulheres.

campo vasto para mulheres no campo 2

Daniele Alkmin é a CEO da AgrOrigem, a primeira startup a entrar para o portfólio da NovoAgro Ventures. Ela reafirma o papel das mulheres no desenvolvimento de ideias inovadoras e ressalta a importância do apoio para o desenvolvimento de agtechs. “Acredito no poder de transformação e multiplicação da mulher empreendedora no agronegócio brasileiro. Ainda temos muitos obstáculos a serem superados, a começar pelo mercado, que está acostumado a negociar somente com homens. O apoio às mulheres inovadoras é de extrema importância para que a gente continue desenvolvendo novas soluções para o agro”.

campo vasto para mulheres no campo 3

É para estimular startups e valorizar as mulheres à frente desses empreendimentos que a Finep, agência pública para financiamento de estudos e projetos, e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) lançaram a 3ª edição do Programa Mulheres Inovadoras. Serão selecionadas até 30 startups para serem aceleradas e até 15 para premiação de R$120 mil. As inscrições terminam em 28 de março e, entre os temas prioritários para a região Sudeste, estão inovações para ampliar a competitividade no agronegócio.

Outras informações sobre a 3ª edição do Prêmio Mulheres Inovadoras: http://www.finep.gov.br/chamadas-publicas/chamadapublica/672

0
0
0
s2sdefault

agricultura 4.0, baseada na hiperconectividade, está promovendo uma quebra nos ciclos produtivos na forma como são conhecidos hoje. A automação, um dos pilares desse processo, promoverá um deslocamento de 85 milhões de empregos em todo o mundo nos próximos cinco anos e, com os avanços dos robôs, serão criados 97 milhões de novos postos de trabalho em todas as áreas da economia, segundo o relatório The Future of Jobs, do Fórum Econômico Mundial. Antecipando o cenário dessa transformação mercadológica, nos últimos oito anos, o Sistema FAEMG/SENAR/INAES/Sindicatos promoveu 8.787 cursos, impactando 109 mil pessoas.

A automatização, aliada às outras ferramentas de inovação, pode gerar dados que facilitem a tomada de decisão, otimizando a utilização dos recursos no campo. Embora essa gama de possibilidades possa parecer inacessível, são adaptáveis e aplicáveis para diferentes perfis de produtores. Isso é o que afirma o analista de Formação Profissional Rural do Sistema FAEMG, Alexandre Martins. O futuro do meio rural será cada vez mais tecnificado.

“É natural que tenhamos atividades cada vez mais produtivas, equipamentos com controle de dados mais avançados e soluções eficientes e inovadoras para uma produção cada vez mais sustentável, com qualidade superior e lucrativa. É com esse olhar que, neste ano, o SENAR MINAS também lançará o curso de Rastreabilidade na Bovinocultura”.

No campo, a equipe do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), através do Projeto FIP Paisagens Rurais, já indica máquinas que automatizam o processo produtivo, garantindo a qualidade do produto. É o caso do produtor Walter de Carvalho Júnior, do município de Veríssimo, em Minas Gerais, que adquiriu todo o sistema de ordenha canalizada, com extrator e transferidor automático de leite: “As aquisições, além de proporcionarem comodidade, têm a vantagem de evitar a sobrecarga na ordenha, porque, além de medir a quantidade de leite automaticamente, facilita a administração da produção por animal”.

Em outra etapa da produção de leite, o pecuarista Antônio de Lourdes Blanco, também de Veríssimo, em Minas Gerais, adquiriu o transferidor de linha de chão, que facilita e agiliza o processo de transporte de leite até o tanque resfriador: “Não preciso me preocupar com o nível do latão de leite. Assim, é possível melhorar a qualidade do leite, já que há redução do tempo de contato entre o ambiente e o produto”.

Ao mesmo tempo em que o Sistema FAEMG capacita pessoas para aplicação e uso das ferramentas de automação, a entidade, por meio do INAES (Instituto Antonio Ernesto de Salvo) investe no relacionamento e desenvolvimento de agtechs, como são conhecidas as startups com soluções para o meio rural. Para a superintendente do INAES, Silvana Novais, esse é um processo sem volta e que impacta fortemente o processo produtivo: “Atualmente, estamos desenvolvendo diversas ações para apoiar empresas de base tecnológica que estejam conectadas com esse novo mundo e que apoiem nossos produtores rurais no processo de transformação no campo”. 

ordenha

NovoAgro Ventures

Entre as ações que o Sistema FAEMG desenvolve ou participa como parceiro, está a NovoAgro Ventures, a venture builder, estruturada em parceria com a FCJ, para o desenvolvimento de soluções tecnológicas para o agronegócio. Atualmente, duas startups do portfólio oferecem soluções de automatização para os produtores rurais. A RuhWater, para a gestão de recursos hídricos, e a Neo Farm, para o gerenciamento da propriedade rural.

0
0
0
s2sdefault

O Sistema FAEMG, por meio do Instituto Antonio Ernesto de Salvo (INAES), produziu cinco e-books gratuitos sobre inovação e tecnologia no agronegócio.

O material tem como objetivo compartilhar informações que possam impulsionar o trabalho de empreendedores, startups e produtores rurais.

Acesse os links abaixo e faça o download gratuito dos e-books. Veja os temas:

 

 

 

 

 

CONTATO

Avenida do Contorno, 1.771
Floresta, Belo Horizonte, 30.110-005

  (31) 3074-3000

  (31) 3074-3030

  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.